Header Ads

Conheceram-se num avião à saída dos Açores apaixonaram-se e voltaram este ano para casar



Sean Kavanagh é natural de Boston e veio conhecer os Açores há três anos. Anna Gorga é uma italiana que trabalhava com seguros e também esteve na mesma ilha que Sean, mas só se conheceram num avião a 30 mil pés num avião.

No Verão de 2016 Sean Kavanagh, então com 29 anos, parou nos Açores, na Terceira, onde assistiu a touradas antes de seguir viagem para o Médio Oriente onde iria ser professor durante o Verão. Apaixonou-se pelo arquipélago, pela cultura, pela culinária mas também pelos penhascos íngremes e águas cristalinas. Entretanto, Anna Gorga de 27 anos também escolheu os Açores para descansar e andar a cavalo.

De acordo com a CNN Travel, que conta a história do casal que se apaixonou no avião, Kavanagh conta que “não fomos um contra o outro, não nos encontrámos, mas fomos no mesmo avião para Lisboa”. Anna Gorga era para ter apanhado um voo mais cedo, que foi cancelado, e não podia imaginar que essa alteração de planos ia desencadear um romance e afirma à CNN Travel que “quando penso na forma como nos conhecemos, parece impossível”. Já Sean Kavanagh diz que foi “pura coincidência, um encontro afortunado”, recorda.

É que Anna Gorga já estava sentada num lugar à janela quando Sean Kavanagh embarcou e se sentou na mesma fila, na coxia, com uma outra passageira no meio deles. Dizem que mal deram conta um do outro, até a passageira pedir a Anna se podia sentar-se à janela para ver as vistas. Anna e Sean ficaram os dois lado a lado e imediatamente repararam um no outro. Anna Gorga refere que reparou que “ele era muito bonito e simpático”.
Começaram a conversar e para surpresa de ambos a conversa fluiu bem. Começou com o amor mútuo pelos Açores e passaram a conhecer-se mais intimamente, falando sobre a família, empregos, ambições.

Quando aterraram em Lisboa a conversa continuou durante um café no aeroporto em que nenhum dos dois queria parar de conversar. Mas tiveram de se despedir já que Kavanagh tinha de apanhar um voo de ligação a Israel para continuar a sua viagem enquanto Anna Gorga seguia em direcção a Zurique, na Suíça, onde vivia na altura. Despediram-se como amigos, mas Anna pensou que nunca mais iria encontrar-se com Sean, uma vez que viviam em continentes diferentes, e ela até estava a namorar com outra pessoa. Mas mesmo assim deixaram em aberto a possibilidade de se voltarem a encontrar e Anna Gorga disse a Sean que “se alguma vez passares por Zurique, avisa-me que tomamos um café”.
Um convite que Sean Cavanagh “levou muito a sério” e antes que o Verão acabasse viajou até Zurique e foi à procura de Anna.Depois de um rápido fim-de-semana na Suíça aperceberam-se que havia algo mais entre eles e tinham de se encontrar de novo. Marcaram novo encontro em Valência, Espanha, para um fim-de-semana prolongado mas à medida que o Verão ia acabando, começavam a perguntar-se se não seria apenas um romance de Verão já que Sean teria de voltar para os Estados Unidos no Outono.

Até os amigos de ambos não estavam muito convencidos que a relação ia durar, mas Sean e Anna entendiam que, sendo ambos bastante apaixonados por viagens, poderiam concretizar os encontros em qualquer lado do mundo.

Entretanto chega Setembro e o destino parece que se intromete de novo no caminho de ambos. A empresa de Anna Gorga propõe-lhe um emprego em Miami, na Florida, por alguns meses que ela aceitou “imediatamente” já que isso implicaria uma nova oportunidade de emprego mas também o facto de estar com Sean no mesmo país. “Basicamente podíamos ver-nos quase todos os fins de semana enquanto eu estivesse lá”, explica Anna Gorga à CNN Travel.

E efectivamente o casal organizou fins-de-semana em Washington D.C., viajou para o México, passou o primeiro Natal junto e houve as apresentações formais à família e aos amigos. O casal começou a pensar, cautelosamente, num futuro a dois embora a única questão fosse como conseguir isso. Quando terminou a passagem de Anna Gorga por Miami e ela teve de regressar a Zurique, voltou a incerteza na relação. “Eu não podia, naquela altura, deixar tudo só para ficar com ele. Continuo a ser muito pragmática”, explica Anna Gorga enquanto Sean Cavanagh lembra que na altura “tínhamos chegado a um impasse”.

De acordo com a CNN Travel, durante seis meses o futuro do casal era ainda incerto até que a empresa de Anna Gorga lhe apresentou outra proposta de trabalho nos Estados Unidos da América, desta vez em Boston. Um ano depois de se terem encontrado pela primeira vez num avião sobrevoando os Açores, o casal estava agora no mesmo país e na mesma cidade.
O casal diz que a transição entre uma relação de longa distância e a vivência juntos até foi bastante simples e só veio solidificar o que eles já sentiam: “tinham encontrado o tal”.

Sean Kavanagh diz que “as coisas correram tão bem e demo-nos logo bem de uma maneira que eu nunca tinha experienciado por isso nessa altura nós simplesmente sabíamos que era aquilo que queríamos”.

Pergunta a CNN Travel ao casal se é realmente possível transpor um romance de Verão para a vida real. O casal admite que nem sempre foi fácil e que por vezes eles próprios se surpreendem com o resultado. “Conhecemo-nos nas férias e pensamos como é que será na vida real”, afirma Anna Gorga que admite que “honestamente, não foi fácil. Às vezes pergunto-me porque quis eu complicar tanto a minha vida”.

Anna Gorga acredita que o sucesso da relação fica a dever-se não só ao amor que sentem um pelo outro e à compatibilidade, mas também ao entusiasmo e determinação de ambos para que a relação resulte, mesmo contra todas as expectativas. O certo é que Anna Gorga e Sean Kavanagh casaram ma Primavera de 2018 numa pequena cerimónia civil nos Estados Unidos, mas este ano em Julho, regressaram aos Açores para uma “grande festa de casamento”, com família e amigos. Para o casal, os Açores têm uma grande influência sobre os seus corações, não apenas porque foi depois de uma viagem ao arquipélago, e a sobrevoá-lo, que se conheceram mas também porque tem uma simbologia.

“Os Açores ficam entre a América e a Europa. Por isso é realmente onde os dois continentes se encontram. Foi onde nos conhecemos e adoramos aquele local. É muito simbólico para nós, tem muito significado”, revela Anna Gorga.

in correiodosacores.pt

Sem comentários